Blog

O que você faria se não tivesse medo?

Essa frase que, dentre outras com o mesmo espírito, está aposta no escritório central do Facebook em Palo Alto nos leva a uma importante e, na minha visão, diferente reflexão. Normalmente as pessoas gastam alguns - ou muitos - minutos, refletindo sobre o que fariam se ganhassem na mega sena, mas poucas param para refletir sobre a frase que inicia este post. Analisando com cautela identificamos um ciclo de auto sabotagem nesse mecanismo que nos leva a gastar tempo com algo cuja probabilidade de ocorrer é mínima e que, principalmente, foge absolutamente do nosso controle, quando nos preocupamos muito pouco em identificar aquilo que nos bloqueia e nos impede de efetivamente alcançar nossos sonh

Até quando?

Logo após a comoção mundial pelo menino sírio que trouxe à baila uma discussão importante e necessária sobre a imigração e os refugiados, Cristian foi morto ao se ver no meio do fogo cruzado da polícia com traficantes. Silêncio! Cadê a comoção? O tempo verbal das matérias que tratavam da morte precoce de Cristian é o futuro do pretérito! Ele “teria sido atingido” e a arma encontrada com ele "não seria dele”. O que paira quando se trata da morte de um adolescente negro e pobre é a desconfiança. Desconfiança de que "alguma coisa ele deve ter feito". Ontem, Herinaldo Vinicius estava indo comprar uma bolinha de pingue-pongue quando policiais se “assustaram” com a criança correndo e atiraram tir

Sobre o dia em que saí do armário...

Algumas pessoas vêm me perguntando nas palestras sobre como me tornei uma feminista então aqui vai o relato mais sincero impossível que escrevi tempos atrás sobre esse processo de desconstrução que continua a todo vapor! "Anos atrás em um bate-papo com uma amiga de longa data fui confrontada por ela, com um certo desprezo, sobre o “quando foi que eu teria me tornado uma feminista”, estando o termo feminista acompanhado de uma quase mordida-careta no lábio bastante pejorativa. Quase um “nojinho”. Prontamente respondi: “não sou feminista, apenas acho que isso (objeto da nossa conversa há época!) não é justo!” Hoje, ao refletir sobre o como o feminismo ainda é visto com desdém-irritação-preguiç

Eu aprendi que...

1) Você não é burro só porque assiste ao BBB e nem um grande intelectual porque posta frases supostamente atribuídas a Nietzsche ou a Clarice Lispector; 2) Assistir um filme nigeriano com diálogos a cada 15 minutos não faz de você alguém necessariamente mais inteligente do que quem assiste à novela das 8 3) Ser velho não significa ser sábio 4) Ter filhos não faz de você automaticamente uma mulher melhor, muito menos tê-lo sem anestesia 5) A culpa nem sempre é dos seus pais... nem o mérito! 6) Trabalhar 15 horas por dia não fará de você um profissional mais competente ou mais bem sucedido, mas também não significa que você terá uma vida fadada à decepção e à solidão 7) Ser gay não quer dizer

Nunca se esqueça de agradecer!

Existem alguns poucos momentos em nossas vidas em que sentimos estar exatamente no lugar certo, na hora certa e de que todo o Universo está conspirando a nosso favor naquele momento! Esses momentos são tão raros e podem acabar despercebidos ao coração mais desatento! “Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas”, disse a raposa ao Pequeno Príncipe e desde então esta frase tem justificado tudo quanto é tipo de acontecimento na vida das pessoas, sejam bons ou ruins mas ela nunca fez tanto sentido para mim como na última semana! Sexta-feira passada, estava em Brasília a convite de uma amiga para palestrar sobre empoderamento feminino para um grupo de mulheres sensacionais que at

Copo meio cheio ou vazio?

Está escuro e você está caminhando pela rua quando começa a ouvir passos atrás de você. A rua está deserta e o silêncio é total. Então, você ouve um barulho que parece um tiro. Sua respiração acelera. Seu coração dispara. Seus músculos enrijecem. Um segundo depois, você percebe que não era nada mais do que um gato pulando em uma tampa de lixo. E se fosse um tiro? Quais sensações teriam sido provocadas no seu corpo? EXATAMENTE AS MESMAS!!! Esse exemplo ilustra que não há diferença entre o medo REAL e o medo INFUNDADO o que nos leva ao tema desse post: NADA é mais poderoso do que uma crença. Acreditar convictamente em algo faz com que qualquer coisa seja verdadeira aos nossos olhos (e ao no

Postagens em destaque
Posts recentes
Arquivos
Pesquise pelasTags

Mapa do site

HOME                           SERVIÇOS                   BLOG                     

SOBRE                          NA MÍDIA                    CONTATO

                    

  • Grey Facebook Icon
  • Ícone cinza LinkedIn
  • Grey Instagram Icon
  • Grey YouTube Icon

Site desenvolvido pela iodit.com.br - Todos os direitos reservados. 2018