Blog

10 Nov 2018

Esperei para ver o documentário sobre a vida da Maya Angelou somente após finalizar “Eu sei porque o pássaro canta na gaiola” e estou profundamente impactada com a força e o brilhantismo desta mulher! 


Mesmo já uma senhora, Maya transmite paixão, vibração e sensualidade que pulam da tela e nos contagiam quase querendo tocá-la e pegar um pouquinho dessa mulher gigante e que conhecemos pelo seu olhar de menina em uma leitura tão profunda. 

Maya foi cantora, jornalista, assistente administrativa em Gana, atriz, professora, pesquisadora, produtora teatral, historiadora, ativista pelos direitos civis. Foi principalmente uma pioneira e uma rebelde e fez da sua própria existência um símbolo de resistência. 

Uma mulher para todas nós nos orgulharmos por sermos também mulheres! 

Mulher Fenomenal - May...

29 Jul 2018

Eu engordei quase 15 kg em menos de 3 meses antes de engravidar por uma série de razões que não cabem aqui e realmente não considerei isso um problema tão grande quando recebi o meu tão esperado positivo!

Minha gravidez foi incrível até o início da 36a semana quando tive pré-eclampsia e isso me levou a engordar mais 10kg em cerca de 4 semanas. Mas até então não tive nem meio enjôo, nenhum tipo de complicação, sangramento, dores suspeitas, nadinha!

Tive muito inchaço, pois por natureza sou alguém que retêm bastante liquido e (depois descobri também pelo aumento da pressão proveniente da PE) e isso acarretou dores e desconfortos que, somados ao peso extra dificultavam muito a minha mobilidade bem como as minhas escolhas do que vestir!

É difícil escolher uma roupa que sirva e que combine e...

1 Aug 2017

Foi difícil disfarçar a decepção quando soube que estava grávida de um menino. 

Mãe de um M E N I N O? Logo eu! Vítima das mais cruéis formas de machismo que a sociedade nos proporciona: abuso, assédio, mansplaining, gaslighting e todos os demais termos em voga e que nada mais são do que boa e velha misoginia de cada dia decupada e desenhada! 

Eu saberia exatamente como agir se minha filha fosse assediada, abusada ou humilhada. Saberia como defendê-la e, principalmente como ensiná-la a lutar! Saberia abraça-la e chorar com ela! Precisei aprender a me defender dos homens muito cedo e saí vitoriosa nessa guerra! Pergunte a qualquer um que me conhece desde sempre qual adjetivo melhor me descreve e muitíssimos dirão: “guerreira”. Pois então, quando pensava em uma menina estava preparada a ter um...

Empreender é iniciar algo novo, planejar e agir, seja na vida pessoal ou profissional de homens e mulheres, indistintamente. Porém, muito se tem discutido a respeito do papel da mulher empreendedora na sociedade atual. Já desde 2010, o Pacto Global das Nações Unidas e a ONU Mulheres encorajam instituições e corporações a fomentarem o protagonismo feminino profissional, por meio da adesão aos  Princípios de Empoderamento das Mulheres (WEPs, na sigla em inglês). No entanto, é preciso entender o empreendedorismo feminino não só como o protagonismo profissional nos negócios, nas instituições e corporações, mas também na vida pessoal. Aí é o nosso maior desafio. 

Dados trazidos pelo Relatório sobre Igualdade de Gênero e Desenvolvimento de 2012 do Banco Mundial nos mostraram que a...

13 May 2016

Dia desses entrei em um debate num grupo de mães sobre a possibilidade de a Elsa (princesa da Disney) ter uma namorada em uma nova versão a ser lançada em breve.

Um tanto receosa me arrisquei a ler os comentários e, após a leitura de todos, com o estômago bastante embrulhado e os olhos marejados, posso dizer, sem medo de errar que nossas lamentáveis estatísticas fazem todo o sentido.

A maioria esmagadora dos comentários era contrária a essa possibilidade, embora grande parte começasse esclarecendo não ser "preconceituosa" e nem "ter nada contra o homossexualismo (sic)."

Apelou-se muito também para o fato de que simplesmente não se deveria abordar sexualidade nos desenhos (com o quê posso até concordar, mas ninguém está protestando por isso até onde me consta, então me soou...

8 Mar 2016

Temos tanto para refletir nesse dia... Tanto para lamentar, muito para conquistar e tantos e tantas para convencer do quanto o machismo continua presente em nossas vidas. 

Ainda falta muito! E é disso que devemos falar neste dia, para que não seja apenas mais um dia comercial engordando um pouquinho as contas de floriculturas e marcas que exploram o ano todo a mulher como objeto, que nos fazem sentir péssimas com nossos corpos, que nos incitam a distúrbios alimentares, que nos fazem chorar ao subirmos na balança, para hoje virem nos homenagearem por sermos "sensíveis e batalhadoras"! 

Precisamos falar de aborto e das mulheres que morrem, que são criminalizadas ou ainda das que parem crianças condenadas muito antes de nascerem. Há que se falar de estupro e da banalização do mes...

19 Oct 2015

 

A Comissão de Estudos de Violência de Gênero da OAB Paraná (CEVIGE-OAB/PR) e o Comitê Latino-Americano e do Caribe para a Defesa dos Direitos da Mulher (CLADEM Brasil) realizaram nos útilmos dias 15, 16 e 17 o Seminário Regional "Violência de Gênero: desafios para o campo dos direitos humanos". (Confira a programação completa aqui!)

 

Foram 3 dias de discussões, debates e maravilhosas exposições de mulheres que ocupam seus espaços e impõem sua presença através do trabalho, da palavra e até mesmo do olhar. Mulheres que estão fazendo a diferença para transformar esse mundo repleto de desigualdades, sofrimento e dor para a maioria da população que é oprimida desde sempre em maior ou menor medida, a depender de seus próprios privilégios, nesta estrutura social que sujeita um ser ao poder de out...

17 Sep 2015

Algumas pessoas vêm me perguntando nas palestras sobre como me tornei uma feminista então aqui vai o relato mais sincero impossível que escrevi tempos atrás sobre esse processo de desconstrução que continua a todo vapor! 

 

 

"Anos atrás em um bate-papo com uma amiga de longa data fui confrontada por ela, com um certo desprezo, sobre o “quando foi que eu teria me tornado uma feminista”, estando o termo feminista acompanhado de uma quase mordida-careta no lábio bastante pejorativa. Quase um “nojinho”. Prontamente respondi: “não sou feminista, apenas acho que isso (objeto da nossa conversa há época!) não é justo!”

 

Hoje, ao refletir sobre o como o feminismo ainda é visto com desdém-irritação-preguiça por uma importante parcela da nossa sociedade, passou um filme na minha cabeça sobre como eu “sa...

26 Mar 2015

"Tornei-me feminista como uma alternativa a ter que me tornar uma masoquista" - Sally Kempton

Desde que me declarei feminista e comecei a estudar um pouco sobre questões de gênero (muito pouco ainda para o meu gosto) muitas pessoas passaram a me ver de forma diferente. Como já disse aqui começaram a surgir olhares de estranhamento quando uso o termo feminista ou aquela cara de preguiça nítida. "Nossa agora você vê machismo em tudo", já me disseram algumas vezes.

Pois é, meu bem, não sou bem eu quem vejo machismo em tudo, mas o machismo que infelizmente está impregnado nas entranhas mais profunda da sociedade e muita coisa que pode parecer "bobagem" nada mais é do que um sintoma, suave ou não, de uma doença muito maior que afeta nos afeta todas de forma violenta e cruel.

Desde a reação às camp...