November 19, 2018

November 10, 2018

November 1, 2018

October 2, 2018

September 4, 2018

August 29, 2018

Please reload

Posts recentes

Kalindi - De mim para o mundo com todo o amor do mundo

December 17, 2018

1/5
Please reload

Postagens em destaque

Sobre barrigas, pés inchados, roupas que não combinam e amor próprio

29 Jul 2018

Eu engordei quase 15 kg em menos de 3 meses antes de engravidar por uma série de razões que não cabem aqui e realmente não considerei isso um problema tão grande quando recebi o meu tão esperado positivo!

Minha gravidez foi incrível até o início da 36a semana quando tive pré-eclampsia e isso me levou a engordar mais 10kg em cerca de 4 semanas. Mas até então não tive nem meio enjôo, nenhum tipo de complicação, sangramento, dores suspeitas, nadinha!

Tive muito inchaço, pois por natureza sou alguém que retêm bastante liquido e (depois descobri também pelo aumento da pressão proveniente da PE) e isso acarretou dores e desconfortos que, somados ao peso extra dificultavam muito a minha mobilidade bem como as minhas escolhas do que vestir!

É difícil escolher uma roupa que sirva e que combine e que fique confortável para seja lá o que eu for fazer ao longo do dia! No início do nono mês eu só tinha um tênis que me servia comprado especialmente para esta finalidade e que era 2 números maior do que meu pé e EVIDENTEMENTE não combinava com quase nada... nem sei por onde ele anda...

Eu tirei esta foto no dia do famigerado exame do cotonete (entendedoras entenderão). Meu primeiro pensamento ao me arrumar foi colocar uma saia para não precisar botar e tirar calça (que já é uma coisa cansativa). Estava calor mas nem tanto, não queria meia-calça (pelas mesmas razões da calça) e, como falei, só tinha um tênis que me servia e, acreditem se quiser, uma meia (do marido) que não se transformava em um torniquete no final do dia!

Pois bem, me vesti meio sem combinar nada mesmo, mas confortável.

Sai, fiz meu exame e fui ao shopping procurar um Crocs e um chinelinho pra levar pra maternidade (no fim fui para a maternidade com o Crocs do marido). Na loja da Crocs a atendente me olhou de cima abaixo e me atendeu com um mau-humor que há tempos não experienciava. Desisti... Sai um pouco triste me olhando no espelho e me vi imensa, me senti horrível e me deu uma vontadinha de chorar... Percebi então que outras pessoas me olhavam... Olhei pra baixo e vi que realmente o tênis branco com o vestido estão bem "bregas" e comecei a me perguntar (mais uma vez pois não é a primeira vez que penso sobre...) até onde vai a crueldade com as mulheres! Será tão difícil olhar para uma mulher nesse estado com uma barriga prestes a explodir e pensar: "ela deve estar com essa roupa porque está mais confortável!"???

Digo mais: grávida ou não, que corrente mais pesada é essa em que temos que ser julgadas e bem tratadas baseado na forma como nos vestimos? Que coisa mais cruel!

Falamos muito da imposição de padrões estéticos e de como é difícil se libertar deles e é mesmo! Se é pra mim, que sempre fui mais desprendida de moda, que sou "empoderada" e me considero bastante independente, como é para as tantas outras?

Há algum tempo eu me policio muito para observar as atitudes gordofobicas da sociedade e as minhas próprias, leio muito sobre esse tema e mesmo assim os comentários sobre meu peso na gravidez me magoaram, me doeram muito mais do que gostaria de admitir... Todos os: "noooossaaaa sua barriga tá enorme hein!" Ou as perguntas sobre de quanto tempo estou olhando pra barriga, os julgamentos silenciosos me machucaram... Mesmo lutando contra essa imposição na minha cabeça...

Porque as pessoas fazem isso? Porque precisamos passar a vida correndo atrás de um peso, estilo, padrão ideal que evidentemente nunca será alcançado?

Eu sonhei por dois anos com essa gravidez e me olho no espelho nua e me sinto linda! Quando me vejo com os meus olhos eu me sinto maravilhosa e feliz... Mas me sinto horrível quando me vejo com os olhos dos outros... Todos os olhos que pousam na minha barriga e pensam que engordei demais, que comparam a minha gravidez com a de amigas e conhecidas... Quando me vejo por esses olhos eu choro!

E querem saber o mais foda de tudo isso? Eu passei a vida inteira sendo magra e "no padrão" e nunca estava satisfeita!

Aos 18 eu pesava 50 kg e lutava pra voltar aos 48 de antes...
Aos 25 eu pesava 54 e lutava pra voltar aos 50 dos 18...
Aos 30 eu pesava 57 e lutava pra voltar aos 54 dos 25...

Nunca me senti magra nem bonita em nenhum desses pesos... Sempre faltava algo!

Eu pari com 99 kg! Sim, isso mesmo! E hoje eu continuo com os 15kg "extras" que eu adquiri antes de engravidar que comentei no início deste post, mas me sinto mais linda do que jamais me senti!

Se eu quero emagrecer? Talvez! Ainda não é fácil se desprender dos modelos impostos durante 30 anos na minha cabeça, mas estou certa de que beleza não está ligada a peso e nem saúde! Autoimagem e amor próprio estão na nossa cabeça!

Hoje, eu só queria que todas as mulheres, grávidas ou não, soubessem que elas não estão sós! Que todas nos sentimos julgadas, por mais desencanadas que possamos parecer e por mais livres que sejamos essas amarras ocultas são crueis e são injustas, mas estão em todas nós! Temos que quebra-las juntas!

Eu pensei em ir pra casa me trocar... Mas não fui... Só saí por aí com meu tênis que não combina e minha meia frouxa com meu vestido florido porque eu estava muito confortável assim e essa foto e esse post foi para me lembrar de nunca mais me olhar com os olhos dos outros se não for pra ser com amor e admiração!

Please reload